Acredito em Anjos

Acredito em anjos, mas não acredito em Deus.

Escolhi a astrologia como guia. Talvez eu seja apenas uma tola por acreditar nas palavras dos homens.

O que existe lá, embaixo da minha pele? O que compõe meus ossos?
Arte e fé são subjetivas. Como você me lê e me acredita?
Sou casa de todos os despertares, de todos os anjos, demônios e prazeres. Eu deveria me culpar? O livre arbítrio é uma linha fina entre o que é fácil de dizer e difícil de fazer.

Desde que a humanidade é novamente o centro das atenções, eu quero tomar um minuto do seu tempo para dizer que meu senso de pertencimento está um pouco cansado.
Ouvi dizer sobre as noites longas e tudo que será perdido.
Ouvi dizer sobre o que meu corpo pode comprar e tudo que minha alma jamais carregará.

Já tive fé, mas ela se perdeu em todas as casas em que roubaram de mim minha carne. Ouvi dizer que eu não deveria me abalar.

Comigo carrego apenas fé em mim, e no amor.

Dias atrás me deparei com um jovem sábio, preenchido de bondade e fé inabalável. Foi o sentimento mais intenso que vivenciei ultimamente. Tão intenso que me trouxe lágrimas aos olhos.
Por mais que eu repita inúmeras vezes que não acredito em Deus, há um tipo de beleza profunda e inspiradora naqueles que acreditam sem julgamentos. A fé é para ser apreciada. 

De olhos fechados observei o mundo através das palavras dele, lutando para construir pontes sobre minhas águas turbulentas, me sentindo pequena sob os olhos da própria vida. Me questionei sobre como não acreditar, então, por um segundo, acreditei e quis chorar.
“Seja bem vinda à existência.”
“O que vai existir depois que minhas feridas curarem?”
“Fé”. Alguém sussurrou.
“Talvez perdão”. Sussurrei pra mim mesma. “E talvez muito mais”.

Ter fé é assustador, nos exige tudo que temos de melhor, e por vezes sentimos como se não tivéssemos nada. É possível acreditar sem duvidar? O que faremos em dias como esses? Em dias em que todos os vasos se quebram e as rosas começam a cheirar como morte?

Talvez a astrologia e os signos solares façam mais sentido e as explicações sejam mais fáceis de entender. Talvez a vida seja melhor sempre que nos alienamos, já que carregar as dores do mundo nos mata aos pouco.

Mas aquele anjo, ele me disse que amor é a coisa mais bonita do mundo.




Comentários

  1. Que lindo! Me vi muito na visão de fé que está nesse texto. Acreditamos em coisas parecidas!

    ResponderExcluir
  2. Belo conto! Me senti nas nuvens.

    Boa semana e Feliz Natal!


    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Deixe Ir

Encontro de almas?

Vá Dançar à Luz da Lua