Carrying Memories Around the World


 

It’s amazing how we hold onto pieces of every place we’ve called home, isn’t it? I find myself missing little things from each city I’ve lived in. I can still hear the seagulls in Brighton and the hustle and bustle of the London tube. The memory of the music in the streets of Canterbury always brings a smile to my face.


And then there’s Norway, where the mountains and breathtaking nature still tug at my heartstrings. The weather may not have been my favorite, but oh, how I long for those scenic views.


It’s bittersweet, isn’t it? Memories of days gone by. What do you miss from your past homes?




É incrível como nos apegamos a pedaços de cada lugar que chamamos de lar, não é? Sinto falta de pequenas coisas de cada cidade em que morei. Ainda consigo ouvir as gaivotas em Brighton e a agitação do metrô de Londres. A lembrança da música nas ruas de Canterbury sempre me faz sorrir.


E há também a Noruega, onde as montanhas e a natureza de tirar o fôlego ainda tocam meu coração. O clima pode não ter sido o meu preferido, mas como sinto falta daquelas vistas panorâmicas.


É agridoce, não é? Memórias de dias passados. Do que você sente falta de seus lares anteriores?




--------------------------------------------------------------------------------------------

          Compre "Meu coração não fala com estranhos" aqui: Helvetia Editions
Compre "As 79 Luas de Jupiter" aqui: Editora Penalux

     Para saber mais sobre o meu trabalho me acompanhe no Instagram 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trinta e Três Voltas Ao Redor Do Sol

Arte é um processo

Hans is a storm